Tropa de Elite

Quem ainda não viu esse filme, vá ver porque vale a pena! As críticas, no plural mesmo, pois mesmo por ser um filme relatando a visão de um policial do Bope, acho que ele é capaz e cumpre essa função muito bem de relatar e criticar o sistema como um todo e com todos os seus personagens. As críticas são destinadas ao papel dos universitários, à polícia convencional (militar) e ao Batalhão de Operações Especiais (Bope) frente ao tráfico de drogas e de armas que corre "livremente" nas favelas do Rio de Janeiro.
Em relação ao primeiro grupo de personagens, a crítica dirige-se ao papel financiador da classe burguesa (média e alta) para o tráfico de drogas ao comprar sua maconha e sua cocaína para ficar numa boa. Questionamentos a essa classe surgem em diversas cenas como a discussão em sala de aula sobre a instituição Polícia, seu papel financiador do tráfico e a passeata para lembrar a morte cruel de estudantes vítimas (?) do tráfico.
Para o segundo grupo de personagens, mostra a decadência de um sistema de segurança pública em que os policiais estão mergulhados na corrupção, que de tão enraizada já não tem como atuar por fora dela e isso resulta num conflito entre grupos policiais por zonas de influência e redes de comércio sujo. Dessa forma, é mostrado um Estado completamente decadente que não tem como passar segurança para a população, pois seus agentes são mal pagos, mal treinados e corruptos.
Há críticas ao Bope em cenas sutis, mesmo que as pessoas achem que não tenham por esse ser um filme baseado no relato de um agente de alto comando do Bope. A cena do cemitério, é um bom exemplo em que a bandeira do Bope fica em cima da bandeira do Brasil, assim, o Bope se mostra a partir do filme a cima do Estado!
É um filme que condiz com a realidade brasileira com toda sua violência, repressão, intolerância, alienação, corrupção e tortura.

Blá blá blá deCarol às 11:20

9 blá blá blás:

andré disse... 17 de outubro de 2007 15:34  

acabei de postar sobre o filme =P

Monsieur Coçard disse... 17 de outubro de 2007 20:18  

só verei em dvd, alugado.
por isso ainda não tenho opinião sobre o filme e o ufanismo acerca do mesmo.

Carol disse... 18 de outubro de 2007 07:04  

então...na verdade não ligo muito para quem posta primeiro sobre algum assunto decorrente, aliás acho até bom que as pessoas estão escrevendo sobre assuntos em dia e que estão discutindo e mostrando suas opiniões. Queria dizer que li seu texto, gostei e não vou tecer mais comentários, mas se quiser que eu diga minha opinião depois vc me fala.

Dika disse... 18 de outubro de 2007 11:20  

Estou esperando chegar nas locadoras hehe

Bom, o bom é que mostra o lado real das coisas. E mostra também que o cinema Brasileiro está muito melhor e evoluído.

Ps: Olha só, indiquei o Blá Blá Blá como "Vale a pena conferir". ;)
Gosto bastante do teu blog.

http://digaoquequiser.blogspot.com

Wagner disse... 18 de outubro de 2007 14:29  

Carol, ficou excelente a sua crítica sobre o filme.

Lily disse... 18 de outubro de 2007 16:45  

eu tb vi e tb gostei!
ainda mais pra mim, q moro no Rio, a coisa ficou bem real!
foi um tiro certeiro nos núcleos mencionados no post!
e qr saber? adorei!
principalmente a parte da classe média-alta dos mauricinhos da puc!

boa crítica!

bjks

Natália Nunes disse... 19 de outubro de 2007 08:22  

tá bom, tá bom, eu vou ver.
:)

Lucia disse... 20 de outubro de 2007 06:21  

Olá, Passando pra conhecer o blog!
Quero conferir esse filme há muito tempo... sou fã do trabalho do Wagner Moura e o tema é super polêmico... No fim das contas, contabilizando todas as boas e más críticas, o que acharam do filme? Vale mesmo a pena?

Bjos

Morganna disse... 20 de outubro de 2007 11:00  

bem. primeiramente tinha gostado do filme. ele te deixa intacto no sofá, cinema, seja lá onde se assistiu, até terminar. Depois li umas duas, três críticas sobre ele e acabei mudando de idéia. aliás, como diria um professore meu, só não muda de idéia quem não as têm.
enfim. achei o filme, acima de tudo, violento. tá, é a relidade brasileira e talz. considerar o nascimento como herói? isso já é demais. o filme traz de bandeja e opinião pronta pra sociedade aceitar as torturas e a repressão como meio para "salvar" a si mesma. acabar a violência com violência?? Uhn? O.O'
Tudo bem que seja a visão do BOPE, entretanto a sociedade, ainda, não está preparada pra poder discernir certas coisas.
Como um amigo meu disse, o filme não quer pessoas discutindo o tráfico ou o que levou a surgir coisas no Brasil como o BOPE. Quer público.

Postar um comentário