Trabalho

Já que o Wagner falou em final de semestre, trabalhos mil resolvi escrever um texto sobre trabalho! E como não fui para o Interunesp porque não curto, resolvi ficar pensando em casa, pois os mil trabalhos estão batendo na porta....

Na verdade são considerações sobre um manifesto chamado Manifesto Contra o Trabalho do Grupo Krisis, apesar de ser uma colcha de retalhos de trechos de diversos autores de diferentes épocas, de bagunçar o conceito de trabalho (concreto e abstrato), há trechos interessantes e que faz você refletir.

  • Quem não consegue vender sua força de trabalho é excluído da sociedade. Vivemos assim num Estado de exclusão nítido;
  • A concorrência entre seres humanos no mercado de trabalho resulta para aqueles que não conseguem se adaptar uma penalidade pela lógica da rentabilidade;
  • O lixo social resulta em 3/4 da população mundial;
  • Trabalho se tornou um elemento totalitário: determina o pensar, o agir e que tudo está a serviço das leis de mercado;
  • O trabalho é um Deus;
  • Um ser humano sem trabalho não é um ser humano;
  • Atividade humana em si torna-se uma extensão da força de trabalho, não levando em consideração qualquer conteúdo e independente das necessidades e da vontade dos envolvidos;
  • Trabalho morto é o trabalho que se desenvolve a partir do dinheiro e não mais para a produção de um produto útil. O trabalho se torna, assim, abstrato de sua condição;
  • Oposição do trabalho-capital é apenas uma oposição de interesses diferenciados;
  • Não há vida além do trabalho;
  • O trabalho permeia a vida econômica, o social, o cotidiano e a existência individual
  • Tempo livre serve para trabalhar mercadorias garantindo a venda necessária seja ela material ou intelectual;
  • A emancipação social deve ser conquistada com a consciente desvalorização do trabalho.

Blá blá blá deCarol às 17:23

3 blá blá blás:

Lily disse... 17 de novembro de 2007 13:54  

nem me fale em trabalhos!
só de pensar q estou meeeeeeeeeeega atolada e msm assim, não tomo vergonha na cara! rs

enfim... um dia eu tomo jeito!

bjkssss

Monsieur Coçard disse... 18 de novembro de 2007 02:34  

Só para constar, o trabalho só começou a ser valorizado, quando estav prester a estourar a revolução industrial, pois antes era considerado um miserável aquele que trabalhava, os nobres não careciam de trabalhar... como vemos realmente o trabalho foi mais uma das estratégias bem feitas de design e marketing! :D

Arthurius Maximus disse... 18 de novembro de 2007 07:17  

É verdade, estar fora do mercado de trabahlo é tornar-se um pária social quase que imediatamente. Seus colegas praticamente desaparecem e o "mundo acaba" pra vc. Tenho amigos que reclamam muito disso. A própria estrutura de nossa sociedade é projetada para marginalizar e esconder esse pessoal.

Postar um comentário